Os festejos Juninos

Comemoramos nesse mês de junho uma grande tradição: os festejos dos santos juninos. Ela é muito antiga em várias partes do mundo. Foi trazida para o Brasil pelos colonizadores Portugueses. Aqui no nordeste, vivenciamos estas festas com muito forró, fogueira, brincadeiras e comidas típicas, como canjica, pamonha, milhos cozinhados e assados. Estas são comidas próprias deste período. A comemoração das festas juninas é uma tradição da Igreja Católica quando são celebrados especialmente três santos: Santo Antônio, São João Batista e São Pedro. Por isto, o período é tão especial e lembrado em nosso País, principalmente nas regiões do nordeste, pois reúne a fé com festejos populares. Mesmo aqueles que não seguem a religião católica, acabam aproveitando a tradição e caprichando em vestes e pedidos de preces durante este período.

Foto: Divulgação/Prefeitura de Teresópolis


Santo Antônio, conhecido como o primeiro das comemorações de junho (13/06). Ele é conhecido como um santo muito popular entre os cristãos. Chamado de Santo dos Pobres, foi no Brasil que ele passou a ser procurado como casamenteiro, por haver relatos dele ter ajudado moças pobres a conseguirem os dotes para o matrimônio.


São João, primo de Jesus Cristo, é o único dos santos que tem também o dia do nascimento celebrado. Ele prefigurou o batismo, pela prática da purificação, por meio da imersão das pessoas na água. São João Batista é muito importante no Novo Testamento, pois ele foi o precursor de Jesus e o mostrou como Messias, salvador de todos. João Batista era a voz que gritava no deserto e anunciava a chegada do Salvador. Ele é também o último dos profetas.

Foto:São Pedro e São Paulo, de Peter Paul Rubens/ Twitter Museu do Prado


São Pedro, fecha o ciclo junino. No mesmo dia é celebrado também São Paulo, mas acaba sendo esquecido por muitos. Segundo a Bíblia, Pedro foi o primeiro a ser chamado por Jesus, com seu irmão André, para deixar o barco na praia e ir caminhar com ele, pois ele os faria pescadores de homens. Pedro prontamente deixou tudo e passou a caminhar com o Filho de Deus. Ele é considerado o primeiro Papa e príncipe dos apóstolos. Contam as Escrituras que ele negou Cristo três vezes na hora da Paixão. Mas, se arrependeu. Quando ele foi martirizado, pediu que fosse crucificado de cabeça para baixo, já que não se julgava digno de morrer de igual maneira que Jesus. Na cultura popular, não existem superstições em torno de Pedro. O mais curioso sobre o santo é que ele é considerado o guardião das chaves do Céu.


Professor, Genilton Nery

8 visualizações
  • Ícone branco do Instagram
  • Branca ícone do YouTube
  • Ícone branco do Facebook

Contate-nos

Endereço

© 2019 por Escola Paroquial

Rua Henrique Dias, 85

CEP: 53413-580 - Paratibe PAULISTA/PE