Memória de Pe. Dehon

Leão João Dehon nasceu a 14 de março de 1843, em La Capelle, França. Seu pai era chamado Júlio Alexandre Dehon e sua mãe de Estefânia Adele Vandelet, devota do Coração de Jesus. Tinha um irmão mais velho com o nome de Henrique. Leão foi batizado no dia 24 de março do mesmo ano, véspera da festa da Anunciação.

Leão Dehon frequentou a escola da cidade, mas o ambiente não era favorável a uma boa educação. Por isso seus pais, preocupados com o futuro do filho, o matricularam no Colégio de Hazebrouck, dirigido por padres. Antes de seu ingresso nesse colégio, Leão fez sua primeira comunhão na cidade natal. No Colégio Hazebrouck, encontrou na pessoa de seu diretor, Padre Dehaene, um grande amigo que o orientou muito bem na luta pela conquista da virtude. Na noite de natal de 1856, Leão sentiu forte chamado ao sacerdócio. Conversou com pai a respeito, mas recebeu um não como resposta. Júlio sonhava um futuro brilhante e diferente para o filho, jamais permitiria que ele se tornasse sacerdote. Porém, passando-se alguns anos em meio as provações de sua vida, sua família aceita tamanho chamado de DEUS ao seu filho. E no dia 19 de dezembro de 1868, é ordenado sacerdote, na Basílica de São João de Latrão, na presença de seus pais, que aceitam agora a vocação do filho. Foi nomeado para trabalhar como o 7º padre de uma paróquia. Apesar de tudo, assumiu sua missão com todo ardor e entusiasmo. Conhecendo as grandes necessidades daquela cidade, Padre Dehon teve várias iniciativas de grande repercussão; fundou um patronato, São José (1872), a Obra dos Círculos Católicos (1873); um jornal católico: Le Conservateur de L’Aisne (1874); círculos de estudos religiosos e sociais, com a Conferência de São Vicente de Paulo ( 1875); promoveu encontros de estudos com os patrões, duas vezes por mês (1876).

Sacerdote, culto, santo e dinâmico, muito conhecido na França, Dehon tinha algo que o inquietava. Não estava satisfeito, faltava-lhe algo. Não tinha, porém, clareza o que era realmente. Depois de um longo discernimento, feito de oração, de diálogo com sábios sacerdotes e orientadores espirituais, Dehon toma a decisão de fundar a Congregação dos Padres do Sagrado Coração de Jesus. Data oficial da fundação: 28 de junho de 1878, dia da primeira profissão religiosa do fundador.

Padre Dehon faleceu no dia 12 de agosto de 1925, aos 82 anos de idade.


E hoje, 12 de agosto de 2020, faz 95 anos de sua partida. Reconhecemos que fazemos parte de um legado, que tem uma extensa e bela história. Nossa missão aqui na Escola Paroquial é continuar seguindo seus preceitos e espiritualidade, como comunidade educativa.

É importantíssimo refletir tamanhos pensamentos dele para continuar seguindo essa missão.

"Todos os acontecimentos da vida nos levam a Deus" – Pe. Dehon

"Não há amor sem dor." – Pe. Dehon

10 visualizações
  • Ícone branco do Instagram
  • Branca ícone do YouTube
  • Ícone branco do Facebook

Contate-nos

Endereço

© 2019 por Escola Paroquial

Rua Henrique Dias, 85

CEP: 53413-580 - Paratibe PAULISTA/PE